11 de março de 2017

Eu vi: Olhos de Minha Mãe (The Eyes of The Mother)

Filme: Olhos de Minha Mãe (The Eyes of The Mother)
Direção: Nicolas Pesce

Duração: 76 minutos


Olá caros leitores tudo bem? Perdoe-me o sumiço, vida de universitário não é fácil. Hoje eu trago para você a resenha de um filme de horror que tem recebido boas críticas mundo afora, trata-se do longa metragem “Os Olhos de Minha Mãe”, sendo o título original “The Eyes of My Mother”, uma produção americana que tenta fugir da mesmice e clichês típicos do gênero. Mas como sempre digo, de boas intenções o inferno está cheio (me perdoem o trocadilho).
De início a fotografia é belíssima, toda em preto e branco, o que torna o desenrolar da trama e as cenas de homicídios e violência, bem mais impactantes que o usual, não que o filme seja violento, mas a atmosfera ao longo do roteiro aliado a isso tornam tudo mais opressivo. 
A história do longa metragem gira em torno de um família que sofre um infortúnio trágico e a partir deste acontecimento fatal, a única filha do casal e protagonista do filme “Francisca”, começa a transparecer seus desejos mais bizarros e obscuros. Já deixo bem claro ao leitor que não há violência explícita, tudo vai no viés da suposição ou da nuance, demonstrando deste modo toda a degradação mental que a solidão e a carência podem causar em determinados seres humanos. Mas convém alertar que o filme pode ser perturbador para alguns (não no meu caso) e repulsivo para outros. Mas por quais motivos? Existem ao longo da trama certas pitadas de sadismo (nesse caso tortura e mutilações), necrofilia, um estado mental próximo a psicopatia e outros elementos que não irei citar para não dar o temido “spoiler”. 


Saliento que já vi diversos filmes deste estilo muito mais violentos e repulsivos, mas o que me chamou minha atenção no filme é toda a carga emocional que a história transmite. É impossível não criar empatia por “Francisca” e ao final do filme não querer ou desejar redimi-la por seus erros e escolhas. É diferente de tudo que vi, mesmo não sendo original, pois sua abordagem baseia-se exclusivamente nos conceitos de horror psicológico, bem como da sordidez humana já típicos das produções atuais, mas volto a afirmar que a diferença aqui é a comoção, ou melhor dizendo a dualidade entre o bem e o mal, a vida e a morte, e a expiação ou a redenção através da loucura. É isso que o afasta do lugar comum. No mínimo uma metragem obrigatória de ser assistida. 


Vou deixar o trailer para vocês.


CLASSIFICAÇÃO DNA

9 de março de 2017

Resenha: Érica - Larissa Medeiros Barros Leal

Título: Érica
Autora: Larissa Medeiros Barros Leal
Expressão Gráfica e Editora
Páginas: 270


Érica tinha uma vida normal em Fortaleza até a manhã em que seus pais foram mortos em seu lugar. Após descobrir que foi incluída na lista negra da Ordem das Doze Tribos de Israel, recebe um convite para se tornar uma agente da União Europeia, que luta com todas as suas forças para impedir que judeus fundamentalistas exterminem a humanidade.Enquanto isso, em Moscou, dois jovens sobrevivem a um duplo atentado que mata quase todos os seus amigos e lidam com a revelação de um segredo que envolve uma das vítimas. No Cairo, uma ONG islâmica tenta escapar de uma armadilha arquitetada pela ODTI para submetê-la ás suas decisões. Em Washington, sede da Ordem, a filha de um funcionário da Casa Branca cai em ciladas para que seu pai colabore com os radicais. Em Pequim, um filho procura o pai, há meses desaparecido...Todas essas histórias se conectam. As tensões não são apenas entre povos e religiões, mas também entre pais e filhos, amigos, casais. E a pergunta que não quer calar: conseguirá Érica salvar o mundo da destruição cada vez mais próxima?
Resultado de imagem para separador de páginas
Oi gente, sumi por uns dias. Tenho várias resenhas para por em dia, não vou mentir minha meta literária está bem divagar, mais alguém?

Quem me acompanha no instagram @ericabferrao sabe que divulgo nossas parcerias primeiro lá e após a leitura a resenha chega por aqui.
Hoje é uma parceria livro Érica, da querida Larissa Medeiros Barros Leal, vou aproveitar para agradecer a autora por seu carinho, atenção e confiança com o blog. 
O que me chamou atenção no livro primeiramente foi o nome, a personagem e eu somos xarás, depois a trama e que trama diga-se de passagem. 

Érica está preocupada com sua festa de quinze anos (ah, meus quinze anos rsrsrs), aquele tempo que nos preocupamos somente com nossas amizades, escola, nosso aniversário e etc. Ela está super empolgada com seu baile de debutante e não passa por sua cabeça que está sendo observada até que recebe uma visita. 
Como eu disse, eu vim te dar um aviso: tome cuidado. O tipo de coisa que você está prestes a enfrentar... eu não desejaria isso a ninguém. - E se foi sem dar à Érica a chance de falar."
Érica não podia imaginar o que estava para acontecer após sua tão sonhada festa, não podia esperava que estar sozinha um dia após o melhor dia da sua vida, seus pais se foram. Ela precisava tomar uma decisão enfrentar o que estava por vir ou fugir e tentar levar uma vida normal. Que vida, tudo o que ela tinha foi tirado. Dominada pela raiva, resolve ir até o fim, por seus pais e aceita embarcar para Alemanha com Dereck.

É lá que toda trama cria corpo, entram vários personagens de países diferentes, todos conectados pela Ordem das Doze Tribos de Israel - ODTI, começam a surgir atentados terroristas em Moscou, Cairo, Washington, Pequim e alguns assassinatos como os pais de Érica no Brasil. A Europol coloca seus agentes mirins para descobrir mais sobre a Ordem. A ODTI tem um objetivo acabar com todos aqueles que não são judeus (isso não torna o livro religioso), essa Ordem parece um Hitler só que ao contrário e uma terceira guerra mundial esta prestes a acontecer.  

"...numa guerra não existem vencedores. Todos perdem: vidas, sonhos e futuros. Por cada pessoa, soldado ou civil, que morre numa guerra, a humanidade perde um pouco de sua essência..."
Nos primeiros capítulos fiquei um pouco perdida com os personagens, nada que me desmotivasse a leitura, aos poucos ela flui e tudo começa a se encaixar, os personagens estavam ligados através de uma pessoa. Acreditem, só descobri no final. 

A autora me surpreendeu no final do livro, não esperava que terminasse com um sacrifício em prol de todos e da verdade.   

É isso, espero que tenham gostado. Fico por aqui, até a próxima. Kiss!

Classificação DNA



11 de fevereiro de 2017

Resenha: Minha Rendição - #2 Série Segredos - Cinthia Freire

Título: Minha Rendição 
Autora: Cinthia Freire
Páginas: 400
Editora: Independente




Segredos são como fantasmas, nos assombrando e nos fazendo crer que são reais. Todos têm os seus fantasmas .Poliana tem os seus e há seis meses ela tenta se convencer que ainda é capaz de viver, mesmo que seu coração diga a ela que não há mais esperanças .Vinicius é um renomado cardiologista que vê no trabalho voluntario uma forma de se redimir dos seus pecados.Uma mulher marcada pela dor, um homem que carrega em seu coração a culpa por seus atos. Duas almas feridas encontrando nos braços um do outro uma nova chance para serem felizes.Um livro sobre culpa, perdão, rendição e a descoberta sobre o verdadeiro amor
Resultado de imagem para separador de páginas
Oi gente!
Parceria chegando por aqui, lançamento de Minha Rendição - #2 da série Segredos da autora Cinthia Freire. Vou deixar o link de Meu Erro #1 no final, Ok!

"... o sol vai nascer. Se ele vai aparecer não é o mais importante porque, no final das contas, precisamos dos dias cinzas, pois são eles que tornam os ensolarados tão especiais."
O livro já chamou minha atenção pela capa, dá para ver que ele carrega a culpa e que não se perdoa. Cometeu um erro e tem a certeza que não merece o perdão, ombros pesados, caídos, a dor.

Vinicius errou, apesar de seus familiares e amigos já terem lhe perdoado, ele não consegue se perdoar e vive com o "se", tem pesadelos, vive ocupado com o trabalho, não tem tempo para namorar ou sair com amigos e agora está focado no projeto social Laura Smith, nome em homagem a mãe de Gabriel.

Poliana, cresceu no orfanato, criada pela madre, trabalha como garçonete em um restaurante no bairro da periferia, tem poucos amigos Marina e José, carrega um segredo, vem vivendo um dia de cada vez, é explorada pelo seu chefe Milton, que a deixa responsável pelo restaurante enquanto dá suas "escapadas" com outras mulheres, ela não gosta de fazer parte disso, porém precisa do trabalho.

O livro mexeu comigo, ele trata sobre situações reais, drogas, violência doméstica, medo, a vingança, o perdão, o amor, ajudar o próximo, fazer um pouco mais para aqueles que precisam e além de mostrar que sempre devemos ter esperança de uma vida melhor. Posso me tornar amiga dos personagens? rsrsrs 
Minha Rendição traz a realidade de muitas pessoas, pessoas de verdade fora do mundo da ficção.
"Não são nossos erros quem nos define, mas a maneira como agimos a partir deles. Quem nos tornamos, o quanto ele nos marca."

Eu pensei em quantas Polianas temos no Brasil e no mundo. Quantos Vinicius não conseguem se perdoar por um erro que se cometeu. Quantos Márcios vulgo "Alemão". 

Um homem armado querendo tirar satisfação com aquele que estava saindo com sua esposa, uma pessoa inocente é baleada, um médico está na hora e no local certo iniciar os primeiros socorros. É assim que Vinicius percebe que precisa de Poliana, é quase na perda que seus sentimentos se transbordam, é no desespero que ele percebe que está apaixonado.

"O que faz uma pessoa não são suas perdas e dores, mas como essas coisas te definem, o que precisamos aprender é como lidar com essas coisas, como torná-las algo positivo, como usá-las a nosso favor e não contra nós."

Outro fator que, chamou minha atenção foi a escritora mencionar o jogo do contente, do livro Pollyanna de Eleanor H. Porter (tem resenha dele, vou deixar o link também), esse livro é maravilhoso todo mundo deveria ler um dia. O livro é a herança que a mãe de Poliana deixa para ela, ela sem saber o carrega como um tesouro.
"Fé é acreditar naquilo que não se pode ver."
Também temos a decisão de Gabriel no final do livro, que foi emocionante. Carol e Gabriel personagens do livro Meu Erro #1 da Série Segredos, são muito presentes na vida de Vinicius e depois de Poliana, pois Gabriel e Poliana se envolveram com o Alemão no passado e ele voltou pior que antes.
"...aprendi da maneira mais difícil que não existe felizes para sempre, aprendi que isso se constrói todos os dias, e que ser feliz é um acaso."
É isso gente, espero que tenham gostado. Eu realmente gostei muito desse livro. Você sabia que a cada sete minutos uma mulher é agredida no Brasil e que em 67% dos casos, a violência é cometida por homens com quem a mulher tem ou já teve algum vínculo afetivo. (achei muito esclarecedor a Cinthia ter incluindo esses dados na Nota da Autora nas páginas finais. Parabéns, além de nos proporcionar horas agradáveis com esse enredo excelente, também nos traz a realidade das mulheres do nosso Brasil)

    
CLASSIFICAÇÃO DNA



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...  
 
© Dna Bookz - 2015. Todos os direitos reservados.
Layout criado por: Maidy. Modificado por: Edna Rodrigues.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo