10 de dezembro de 2015

Resenha: Perdas e Ganhos - Lya Luft


Título: Perdas e Ganhos
Autora: Lya Luft
Editora: Galera Record
Páginas: 158
 
"O que escrevo aqui não são simples devaneios. Sou uma mulher do meu tempo e dele quero dar testemunho do jeito que posso: soltando minhas fantasias ou escrevendo sobre dor e perplexidade, contradição e grandeza; sobre doença e morte. Lamentando a palavra na hora errada e o silêncio na hora em que teria sido melhor falar."








Conhecendo a autora:

Lya Fett nasceu em Santa Cruz do Sul, cidade gaúcha, de colonização alemã, filha do advogado e juiz Arthur Germano Fett. Durante sua juventude, Lya foi uma tida como uma menina desobediente e contestadora: não gostava de aprender a cozinhar nem a bordar e chegou a ser mandada para um internato durante dois meses. Porém, desde cedo foi uma ávida leitora — aos onze anos, já recitava poemas de Göethe e Schiller — e tinha um relacionamento mais natural com o pai, um homem culto a quem idolatrava, do que com a mãe. Aos dezenove anos, ela se converteu ao  catolicismo, espantando aos pais, ambos luteranos.  No início de seu primeiro casamento, Lya Luft começou a escrever poemas, reunidos no livro Canções de limiar (1964). Em 1972, foi publicado seu segundo livro de poemas, intitulado Flauta doce. Quatro anos mais tarde, escreveu alguns contos e mandou-os para um editor da Nova Fronteira, Pedro Paulo Sena Madureira, que os considerou "publicáveis". Em 1978, foi lançado sua primeira coletânea de contos, Matéria do Cotidiano. O mesmo editor da Nova Fronteira tinha aconselhado Lya a escrever romances. Daí surgiu As parceiras, publicado em 1980. No ano seguinte veio A asa esquerda do anjo. Tais livros foram influenciados por uma visão de morte que a autora teve depois de sofrer um acidente automobilístico quase fatal em 1979.
Em 1982, publicou Reunião de Família e, em 1984, outras duas obras: O Quarto Fechado e Mulher no Palco. O primeiro foi lançado nos Estados Unidos sob o título The Island of the Dead. A autora lançou vários outros e em 2001, Luft recebeu o prêmio União Latina de melhor tradução técnica e científica, pela obra Lete: Arte e crítica do esquecimento, de Harald Weinrich. Em 2013 recebeu o Prêmio ABL, na categoria Ficção, Romance, Teatro e Conto, pela obra O tigre na sombra. No total, já escreveu e publicou 23 livros, entre romances, coletâneas de poemas, crônicas, ensaios e livros infantis. Os livros de Lya Luft continuam sendo traduzidos para diversos idiomas.
   Photobucket    Photobucket    Photobucket     Photobucket    Photobucket     Photobucket     Photobucket     Photobucket     Photobucket  

Oi, tudo bem com vocês? Desta vez resolvi ler um livro diferente, fugi um pouco dos romances. Um amigo me indicou este livro e eu resolvi dar uma chance, acabei gostando para ser sincera gostei mais do que esperava.
Ele é bem diferente dos livros que vemos por aqui, isso é verdade. As vezes eu achava que a autora estava falando diretamente comigo, sabe como se estivéssemos sentadas tomando uma Photobucket xícara de chá no período da tarde e tendo aquele papo agradável, tipo de coisa que poucos de nós fazemos hoje em dia considerando o corre - corre diário.
Eu o sinto, neste momento inicial, um murmurar para o leitor: "vem refletir comigo, vem me ajudar a indagar."
Naquele momento eu pensei "vamos, também tenho muitas indagações." E confesso que aprendi muito, como vocês sabem sou mãe de dois príncipes, e quem é mãe sabe que temos uma difícil missão cria-los da melhor maneira possível, (autoajuda talvez? depende do ponto de vista). 
O amor primeiro, aquele entre pais e filhos, vai determinar nossa expectativa de todos os amores que teremos. Nossa vivência inicial vai marcar muitas de nossas vivências futuras. "Por isso, ter filhos e criá-los é cada dia gerar e pari-los outra vez, sem descanso." 
O que mais me chamou a atenção foi o equilíbrio e confesso que estou tentando chegar neste equilíbrio: pessoal, como esposa, mãe, filha, nora e não é fácil; para colaborar ainda tem o profissional rsrsrs.
Amar é dar a uma criança os meios para adquirir uma personalidade equilibrada. Perguntarão o que é esse equilíbrio, e responderei que cada um tem o seu. Deve ser o suficiente para não nos afogarmos na primeira onda.
Lya, mais cháPhotobucket por favor. rsrsrsrs A cada capítulo eu queria mais uma xícara de cháPhotobucket, engraçado eu sei. Não "falamos" apenas de crianças "falamos" dos adultos também, principalmente do envelhecimento. Hoje ninguém quer envelhecer e acho que antigamente também não. Nos dias de hoje se tornou uma necessidade ser jovem, não somente de espírito mais fisicamente, 60 com corpo de 40, 40 com corpo de 20 e assim vai. A necessidade em fazer exercícios não somente para ser saudável, e sim para ter uma aparência cada vez mais jovem uma barriga "tanquinho", um bumbum "durinho", pernas torneadas e assim vai. Isso é ruim? Não sei, acho que cada um deve responder por si. (eu tive a crise da idade aos 30 anos rsrsrs, hoje é engraçado mais eu sofri)
"Como tantas coisas mais, viver vai modificar meu corpo. Sobre a minha alma vai exercer apenas o poder que eu lhe conceder."  ... "Mas compararmos um corpo maduro ou velho a um corpo na plenitude do seu frescor é infantil e cruel."
No livro Lya fala sobre nossas perdas e ganhos na vida de um modo geral, filhos, tempo, morte, dependência de afeto, culpa e etc. Ela tenta mostrar que podemos olhar a vida de um jeito diferente, uma pessoa aos 90 anos pode apreciar um vinho e bom papo, que também podemos ter uma casa grande mesmo morando sozinho, que se pode amar novamente aos 70 anos, essas coisas que as vezes não fazemos porque foge do "padrão alheio".
Tive perdas, e se multiplicam com o passar do tempo. Tive ganhos, num saldo que não me faz sentir injustiçada. Especialmente, não perdi essa obstinada confiança que me impele a prosseguir quando o próximo passo parece difícil demais.
Bom, eu particularmente gostei bastante e pretendo ler outros livros da autora, eu pesquisei sobre ela e deixei um pouquinho do que encontrei para vocês depois da sinopse que não chega a ser exatamente uma sinopse rsrsrs.


Fico por aqui, espero que tenham gostado. Até breve. Abraço! 

Classificação DNA

Comente com o Facebook:

3 comentários:

  1. Hello!!!

    Lya Luft é uma grande escritora!
    Embora não tenha lido nenhum livro dela (que eu me lembre), somente leio resenhas positivas. Preciso ler também! :)

    Beijos!
    Participe do Natal Literário no Irmãos Livreiros

    ResponderExcluir
  2. O que dizer? The Best! Perfeito! Simplesmente a melhor! Ou, cara, me identifiquei muito com essa escritora. Amei o Post.

    Beijos
    Paty (leiturasplus.blogspot.com)

    ResponderExcluir
  3. Não é um livro que faça muito meu gênero mas achei a sua resenha bem bacana e completa, gostei da forma como você organiza sua opinião, enfim, parabéns!
    Estou seguindo e adorando seu cantinho <3
    Beijos.
    Tenho um blog sobre filmes, series, cultura no geral. Se puder dar uma conferida ficarei muito grata: http://cineleva.blogspot.com.br/ :)

    ResponderExcluir

Olá Chuchu's *-*
Nós do DNA agradecemos sua visita, saiba que sua presença é muito importante e seu comentário deixa três aspirantes a blogueira feliz :D
Então comente, opine, critique e sinta-se em casa, pois tudo aqui é feito com muito amor para você!
Se quiser fazer contato por e-mail, utilize a aba: Contato.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...  
 
© Dna Bookz - 2015. Todos os direitos reservados.
Layout criado por: Maidy. Modificado por: Edna Rodrigues.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo