28 de julho de 2015

Resenha: Extraordinário

Título: Extraordinário
Autora: R. J. Palácio
Editora: Intrínseca
Páginas: 313


August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros. Narrado da perspectiva de Auggie e também de seus familiares e amigos, com momentos comoventes e outros descontraídos, Extraordinário consegue captar o impacto que um menino pode causar na vida e no comportamento de todos, família, amigos e comunidade - um impacto forte, comovente e, sem dúvida nenhuma, extraordinariamente positivo, que vai tocar todo tipo de leitor.

Oi!!!
Então, o que dizer de Auggie?  Você me trouxe uma baita ressaca literária garoto.
August nasceu com uma síndrome genética, passou por várias cirurgias e seus pais tentam fazer com que ele tenha uma vida normal (eu diria). A reação das pessoas quando o encontram pela primeira vez, me deixa revoltada (sim, é possível se revoltar com um livro). Ele é apenas uma criança que esta entrando no quinto ano horas, um pré adolescente tendo que lidar com seu mundo e o de sua família. 

Me coloco no lugar da mãe, no lugar da criança, do pai, da irmã enfim da família toda. Se você se perguntar porque o universo quis ele assim? Eu diria que foi para que Auggie pudesse ensinar o amor as pessoas a sua volta.  Não aquele amor de conto de fadas, sim um amor gentil. Por onde ele passasse, por mais que as pessoas tivessem uma reação (por ele já esperada), aos poucos conforme elas iam conhecendo ele melhor podiam ver o quanto era gentil, amoroso, inteligente e criativo.
Eu tive uma tia com paralisia infantil, ela se foi a muito tempo.  Naquela época os médicos diziam que ela não teria muito tempo de vida, minha vovó temia partir primeiro que minha tia.  Eu entendo suas preocupações, pois ninguém cuidaria dela como "a mãe cuidava". 

Minha tia partiu primeiro, minha vovó muito tempo depois. Acho que minha vó nunca superou isso de fato, acredito que ela sentia falta de cuidar dela, porque minha tia completava o mundo de minha vózinha. É difícil, as pessoas olham, as crianças comentam, nem sempre por maldade ou curiosidade, acho que é porque somos humanos mesmo e levamos alguns segundos para nos adaptar. Diria que uns se adaptam mais rápido que outros. Também diria que alguns podem ser cruéis.  
August - A fatalidade sorriu e o destino gargalhou quando ela se debruçou no meu berço... - Natalie Merchant, "Wonder"
Bom, difícil dizer que Auggie não mexeu comigo. A mãe dele queria que ele tivesse uma vida normal como a dos outros garotos: passear, fazer amigos, ir a escola entre outras coisas. Imaginar um garoto com um capacete de astronauta parece engraçado, só que para August era um refugio.

Não consigo me expressar sem pensar em como as pessoas são de verdade. Tipo, vou contar um caso fugindo um pouco da resenha. Eu estava em um local e havia uma garota linda, eu a achei meio tensa, ela estava arrumando os cabelos, então eu disse "você é muito linda sabia? Daria uma linda modelo." Ela sorriu, afinal essa era minha intenção descontrai-la um pouco. Sem mais e nem menos chega alguém do lado dela, olha para mim e diz "ela tem epilepsia". 


Minha vontade foi dizer umas poucas e boas, só que me contive em respeito a garotinha. Agora fala sério, isso importa mesmo. Estava só tentando puxar um assunto para descontrair a garota, faze-la sorrir. Crianças devem sorrir e adultos devem se preocupar. Quando a pessoa terminou a frase em vez de animada, ela ficou triste. Talvez a pessoa quisesse ajudar, pra mim não era o momento nem o caso. Na hora me lembrei de Auggie. 

Enquanto lia a história de Auggie, não pude deixar de me recordar do meu "dindo" afilhado de coração. Nasceu com uma síndrome e hoje não está mais conosco.
Comecei a lembrar dos preceitos do Sr Brouwne. Das conquistas de Auggie. As vezes eu paro para pensar quantos "Auggie" (garoto que gosta de Star Wars) temos no mundo. Quantas Izabel lutando para incluir seu filho. Quantas Olivia querendo atenção dos pais sem magoar o irmão, querendo proteger e defende-lo ao mesmo tempo. 
JACK - Agora, esse é o meu segredo. É muito simples. Só pode enxergar direito com o coração. O essencial é invisível aos olhos. - Antonine de Saint-Exupéry, O Pequeno Príncipe.
O livro é apaixonante, sim eu chorei, sim eu fiquei de ressaca literária, sim eu entendo como deve ser difícil.  Desculpem, não consigo mais escrever. Só chorar 
Obrigada pela companhia, até breve. Abraço! "Seja gentil!"


Classificação do DNA


Comente com o Facebook:

20 comentários:

  1. Eu simplesmente amei este livro. Ele é meu xodó eterno!! August é sem duvidas um guerreiro, chorei muito lendo.

    Parabéns, amei a resenha!

    Bjs....

    www.viciadaemler.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem?
      Obrigada.
      Como não se encantar com o August, me apaixonei pelo livro começando pela capa. Cor favorita azul.
      Agradeço a visita, fico feliz que tenha gostado. Abraço!

      Excluir
  2. Ainda vou ler esse livro :)
    Adorei sua resenha , adorei seu blog adorei tudo <3
    Muito sucesso
    http://diariodabrunamacena.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna,
      Obrigada, nosso baby é muito lindo né :-)
      Depois nos conte o que achou do livro, pode ser?
      Agradeço a visita. Abraço!

      Excluir
  3. Oi, Érica!
    Como não amar Auggie?! Linda resenha!

    Beijos.
    livrosdawis.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Wislanny,
      Então como não amar Auggie? Acho impossível rsrsrsrs ele é encantador.
      Ele me deu uma ressaca literária. :-)
      Obrigada pela visita. Abraço!

      Excluir
  4. Olá!

    Impossível não amar esse livro! Auggie é tudo de bom! Eu também resenhei e não deixei de me identificar!

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kamila,
      Que livro né? rsrsrsrs
      Adorei saber que você também fez resenha do Auggie.
      Vou ler, pode apostar.
      Agradeço a visita. Abraço!

      Excluir
  5. Nossa, eu amo esse livro <3
    O blog de você é lindooo!!!! Já estou seguindo :)

    Jess
    @saymybook
    saymybook.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jess,
      Como não amar Auggie, neh?
      Obrigada, abraço!

      Excluir
  6. Olá! Adorei a resenha! Esse livro é incrível!
    Seu blog é lindo! Já estou seguindo.
    Beijos

    @rhadijapraia
    http://amoremprosaecia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Radija,
      Obrigada, o livro é Extraordinário mesmo rsrsrs
      Agradeço a visita, abraço!

      Excluir
  7. Que resenha foi essa? Parece que você colocou você na resenha, não sei explicar, mas a achei muito sentimental, eu me senti ao seu lado. Dá impressão de te imaginar falando tudo isso pra mim, com cara de indignação e tals. Sabe, o Auggie tem uma doença, eu não tenho nenhuma doença, o que tenho é "eu não bebo nada alcoólico" e por vezes sinto essa mesma coisa: "tenho que convencer as pessoas que mesmo sem eu beber eu sou uma pessoa engraçada e quero me divertir junto à elas" ...
    Parabéns, eu amei a resenha! É de quem realmente se envolveu com o livro.
    Caroline Guccione

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Caroline,
      Fiquei emocionada com seu comentário, obrigada.
      Realmente o livro mexeu comigo, não consegui deixar de mostrar meu sentimento na resenha.
      As pessoas sempre vão achar que somos "caretas" por não fazer o mesmo que elas. (ainda usam "careta"? rsrsrs) Não se importe com isso, o importante é você ser você mesma sempre, para se divertir com os amigos creio que basta estar em paz consigo mesmo e deixar acontecer.
      Não deixe de sorrir por isso, melhor nunca deixe de sorrir. ;-)
      Agradeço a visita. Abraço!

      Excluir
  8. Por algum motivo esse livro ainda está na minha lista de não lidos mas sua resenha de deu uma enorme vontade de passar ele na frente da fila! Rara
    http://torradascomcha.blogspot.com.br/2015/07/cem-anos-de-solidao.html?m=1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ingrid,
      Leia você não irá se arrepender. Depois nos conte o que achou.
      Obrigada, abraço!

      Excluir
  9. oii amei o blog e estou curiosa para ler esse livro.
    http://amorporlivroos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite amor por livros,
      Obrigada pela visita.
      Leia e depois nos conte o que achou.
      Tenho comigo que é impossível não se apaixonar por Auggie.
      Abraço

      Excluir
  10. Tenho um caso de amor por este livro, é meu favorito para sempre.
    Adorei o blog, beijos


    http://dicasdaisacereser.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Isamara,
      Obrigada, esse livro é maravilhoso mesmo.
      Agradeço a visita, abraço!

      Excluir

Olá Chuchu's *-*
Nós do DNA agradecemos sua visita, saiba que sua presença é muito importante e seu comentário deixa três aspirantes a blogueira feliz :D
Então comente, opine, critique e sinta-se em casa, pois tudo aqui é feito com muito amor para você!
Se quiser fazer contato por e-mail, utilize a aba: Contato.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...  
 
© Dna Bookz - 2015. Todos os direitos reservados.
Layout criado por: Maidy. Modificado por: Edna Rodrigues.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo